sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Vergonha!




Com uma dissertação para finalizar, muitas páginas para ler e muitas palavras escrita, ainda existem fatos que me calam por seu tom de absurdo. São eles que me trazem aqui. Apesar do vídeo ser, acredito, auto-explicativo, não consigo calar-me diante do "show" particular deste indivíduo que se diz jornalista, mas revela-se um retrógado devensor de uma burguesia moralmente decadente, cega e ignorante.

Este fato me lembra outro representante desse clã de pseudo-intelectuais que há anos controla o país. Há alguns anos, ele se armou com seu martelo e decidiu, favorecendo interesses obscuros de outros partícipes do bando, acabar com a obrigatoriedade do diploma de jornalismo. Na ocasião, o excelentíssimo senhor declarou que a dita profissão não necessitava de formação técnica, ética ou teórica, contrariando uma extensa bibliografia científica ... o resultado? acho que o vídeo elucida bem  ... Não que o diploma seja garantia de um jornalismo sério e responsável, sempre haverá um grande número de idiotas titulados desqualificando a própria profissão, mas a formação acadêmica é um caminho propício à reflexão.

Não é aceitável que um profissional que deveria atuar em nome da sociedade, amplificando suas vozes, utilize o espaço público da mídia para humilhar e responsabilizar a população pobre pelos erros de um sistema corrompido que é alimentado e exaltado pelo veículo no qual trabalha. Sinto-me envergonhada. 

No que diz respeito ao discurso inflamado e pouco embasado apresentado pelo jornalista não é preciso de nenhum livro para desfazê-lo, apesar de haver bibliografia vasta sobre o tema que ele parece desconhecer. Todos os finais de semana ou feriados temos sim um grande número de acidentes de trânsito, mas a maioria dos "camaradas"que os causam estão dirigindo um ótimo carro, com tanque cheio e motor potente. É comum que eles se coloquem como donos do mundo, donos da estrada, impassíveis a lei ... mas estes não são os "miseráveis" como expõe o jornalista, são normalmente os filhos de uma classe média alta que os cria para agirem de forma irresponsável, auto-suficiente e arrogante - exatamente a postura apresentada por esse senhor decadente que maculou, irremediavelmente, sua imagem como profissional, ser humano e, por conseguinte, a imagem de sua emissora.

Um comentário:

Evelyn Bastos disse...

Bá negrinha, as palavras do Prates foram mais do que infelizes!!!! ótimo teu texto, e faço do teu desabafo o meu!

beijo beijo beijo cheio de saudade!