sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Suspiros: divagando


O que existe é apenas a imensidão azul ... o resto é imaginação. Sobre nós toda vastidão do indecifrável, sob nós somente a fúria selvagem que origina e destrói. O que existe é somente o resto de tudo que um dia foi e já não é ... o mais é convenção pura, é a busca desfreada pelo significado vazio de estar.
Há apenas o pé na terra fria, nada mais nem nada menos, apenas o nascente e o poente ... sem números, nem contas, nem horas ... isso é tudo, e já é muito ... talvez seja muito mais do que mereçamos, talvez esteja além do que podemos perceber.

Um comentário:

Odiomar Teixeira disse...

Em minhas divagações já deparei-me apenas com o ar,...mais nada! Sem o céu, sem o mar, sem o azul ou o preto. Mas, o ar dava-me a vida, logo...tudo!