terça-feira, 29 de julho de 2008

Feliz demais

Ela é feliz, feliz demais ... um entusiasmo quase patológico. Sua felicidade que parece altiva é como uma crença descrente de si mesma, não sei se ela mesmo acredita no sorriso que lhe sorri, ele é despido de si ... deixou de ser reflexo para se tornar nexo. Será que me fiz entender?

Não é difícil perceber que falta muito dela na sua alegria diária, falta muito dela nela e no seu jeito de sentir ... falta tanto que me espanto! É quase melancólico vê-la sorrir ... parece tão distante de si que não se permite sentir, ou não sabe.

Um comentário:

FABIH CALDAS disse...

Será que me fiz entender?

não entendi. mas senti... e qd a gente sente as coisas fazem sentido. a gente sente o entendimento.

e eu não preciso mesmo te entender. o que eu sinto por ti dispensa essas demagogias, burocracias.

te amo.