quinta-feira, 3 de abril de 2008

O que resta?

Quando o mundo desaparece por trás das cortinas e fechaduras, quando estamos no escuro sem ninguém a quem rogar, quando sentimos o oco de não ter mais a quem enganar ... chega a hora a deitar, a hora de soltar o pranto mudo do mundo, o choro por nada e por tudo ... Este é o segundo sagrado em que podemos sangrar pelo vazio da multidão, pelos pecados revelados em troca de uma absolvição vendida ...

Quando estamos sozinhos apenas os segredos nos vizinham. Na falta de platéia o espetáculo não existe, as falas calam, as canções se esvaem, as luzes apagam empalidecendo o rosto do ator ... o que resta então?

Só somos em presença alheia, somos a imagem que o outro tem, somos aquilo que o outro quer ... nossa identidade é, tão somente, a negação do além de nós ... somos a maquiagem do personagem, somos apenas o que precisamos sem saber o porquê, nos resumimos a contornos invisíveis quando outros olhos não nos olham ... Então vamos lá, me diga o que resta na imensidão do "mais nada"?

O que sobra do personagem habitual quando todos o abandonam? quais os desejos e pesadelos que permanecem? o que existe atrás do sorriso ensaiado? ... me diga o que há na essência do seu mais puro vazio? ... não há sombra na escuridão, apenas um pulsar, apenas a respiração ... é isso que resta de você? é isso que permanece em ausência absoluta?

A verdadeira existência só é experimentada quando já não há púbico para nos aplaudir nem vaiar, quando não há expectativa, quando deixamos de nos invetar ... quando cansamos de nos assistir ... Sós e mudos ... quando a janela se fecha o que nos resta é a ânsia pelo sono, é hora de dormir antes que nosso silêncio nos acorde.

2 comentários:

FABIH CALDAS disse...

Profundo e perturbador.
Perturbar é um dom.
É um dom dos inquietos e dos inquietantes. Dos questionadores, dos críticos e dos insatisfeitos. Insatisfeitos com aquilo que realmente não satisfaz.
Típico de quem quer sempre mais, porque sabe que merece mais.
Um texto ilegível para os medíocres.
Sou tua fã. tu sabe! te amo. beijos

Michel Abelaria disse...

Ótimo, Mabelita (2)!!

E a última frase encerrou o texto lindo lindamente. :)